Galera, tem fotos novas na galeria do orkut

Bin Laden é destaque na TV Uol

O GLOBO - Do Ceará para São Paulo, ‘Bin Laden’ é dono do boteco preferido da tribo dark da cidade

Por Donizete Costa

 SÃO PAULO - O mundo mudou tanto depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova York, que até a vida do cearense Francisco Helder Braga Fernandes, de 50 anos, morador de São Paulo desde 1978 e dono de um bar no bairro do Anhangabaú, foi afetada. De repente, o nordestino, que já na época dos ataques cultivava uma vasta barba grisalha, ganhou fama por ser um sósia de Osama Bin Laden, terrorista saudita e arquiteto da destruição do World Trade Center.

- As pessoas ligavam para a polícia, me denunciando (risos). Cheguei a tirar fotos com policiais quando eles chegavam e se davam conta do engano - conta Francisco, ou melhor, Bin Laden, como ficou conhecido pela incrível semelhança com o grande vilão do século XXI. - A diferença é que estou sempre rindo. Já ele, se ri alguma vez, é apenas sozinho, depois de aprontar uma das suas.

O engraçado é que a súbita associação fez nosso clone cair nas graças de uma tribo tão especial quanto ruidosa, e o Bar do Bin Laden virou um dos maiores redutos roqueiros da selva paulistana. Assim que a Galeria do Rock, a alguns metros dali, baixa as portas no sábado, por volta das 18h, boa parte dos frequentadores sai em bandos vestidos de preto, rumo à “caverna” do Tio Bin, um lugar bem mais animado que as montanhas onde o líder da Al Qaeda se esconde, no Afeganistão.

Toca do Bin Laden é ponto de encontro dos 'darks' paulistanos / Marcos Alves

- O Bin é nosso herói. Não perde a classe nem quando tem que expulsar alguém que passa da conta na bebida e no comportamento - descreve o promotor de eventos Daniel dos Santos, cosplay do Batman, que gostar de sair para as baladas usando o uniforme de Cavaleiro das Trevas.

Daniel e os amigos abrem os trabalhos pedindo cerveja numa das mesas do boteco ou jogando sinuca, ao som de Black Sabbath, AC/DC, Ozzy Osbourne e cia. Mas a noite avança, a casa enche e os convivas acabam por se espalhar calçada afora. No meio da galera que cola no bar, é fácil achar a estudante Francine Silva, de 16 anos, que tem uns dez piercings distribuídos pelo corpo e até trocou o nome de batismo por outro mais adequado ao visual death metal. Agora, ela só atende quando chamada de Killer Manson.

- Gosto muito de filmes, livros e tudo que fale sobre serial killers. Se você colocar meu nome verdadeiro na matéria, ninguém vai saber que está falando de mim - garante a paulistana.

No bar do Bin Laden, no Centro de São Paulo, rola até sinuca / Marcos Alves

A galera dos cabelos coloridos chama a atenção dos motoristas na Avenida Nove de Julho. Ainda assim, por mais reluzentes que sejam os piercings dos frequentadores, nada atrai mais olhares que a barba do dono do estabelecimento, quando ele sai da toca.

- Teve motorista batendo no carro da frente, na hora do rush, ao me ver na calçada - diverte-se o comerciante, que, diferentemente do terrorista, é fácil de ser achado (tem comunidade no Orkut e perfil no Facebook entregando o paradeiro).

Fonte: http://oglobo.globo.com/megazine/mat/2010/08/30/do-ceara-para-sao-paulo-bin-laden-dono-do-boteco-preferido-da-tribo-dark-da-cidade-917510135.asp

É nois no CQC (a partir de 8 min e pouco) LINDO LINDO LINDO!